Área do associado Área do aluno Anuncie aqui

Apartamento pronto ou na planta? Qual a melhor escolha?

Quando chega a tão sonhada hora de adquirir um imóvel, seja ele para realização do sonho da casa própria ou para troca da moradia diante de necessidades diversas, sempre bate uma dúvida: melhor comprar apartamento na planta ou já construído? Para ambos os casos, a resposta é: depende! Isso porque como são diferentes as demandas de cada cliente, há prós e contras que devem ser avaliados nas duas opções. Mas, uma coisa é certa: comprar um imóvel é um investimento de longo prazo e exige cautela. Por isso é sempre muito importante pesquisar e procurar a ajuda de especialistas no mercado imobiliário.


Antes de se decidir, o ideal é que você faça um balanço de todos os gastos e das burocracias envolvidas em cada caso. Também é importante pensar que no tempo que se dispõe para aguardar o tão esperado momento da entrega das chaves e o quanto se pode investir. A vice-presidente das Administradoras de Imóveis da Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI/Secovi-MG), Flávia Vieira, destaca diferenças importantes para as duas modalidades de compra.


Ao se referir ao imóvel na planta, ela explica que preço e condições de pagamento podem ser grandes vantagens. "Normalmente, ele é mais barato do que o imóvel já pronto, além das construtoras oferecerem várias facilidades de pagamento. Se você optar pelo financiamento, ainda terá um tempo maior para planejar o pagamento das prestações, com a facilidade de negociar o valor da entrada, das intermediárias e o que deverá ser pago na entrega das chaves", diz.


Outro fator importante que a especialista cita é o caráter de ineditismo que o imóvel na planta traz. "A compra na planta tem o sabor do novo, do acompanhamento da obra desde a fase zero. Deste modo, o cliente tem a oportunidade de escolher em qual posição vai querer o apartamento, o lado da insolação da tarde e, em alguns casos, é possível até mesmo alterar o tipo de acabamento ou personalizar o espaço interno do imóvel", explica, alertando, no entanto que todas essas situações devem ser acertadas previamente e devem constar em contrato.


SOLIDEZ FINANCEIRA


Mas, é importante estar atento. Se na compra do imóvel pronto, é importante checar a idoneidade da construtora ou incorporadora, no caso do imóvel na planta essa característica deve ser ainda mais investigada, tendo em vista que se faz um investimento em algo que ainda estar por ser construído. "Conhecer a solidez da empresa é fundamental. Saber a trajetória dela, os imóveis que ela já construiu, o nível de satisfação dos clientes, é algo imprescindível porque dá o direcionamento do que pode ocorrer com o imóvel que está sendo adquirido", afirma Flávia Vieira.


Sobre este aspecto, ela destaca que uma mudança na legislação passou a proteger o cliente de "calotes", na medida em que com a criação da Sociedade de Propósito Específico (SPE), passou-se a ter um CNPJ para o empreendimento, ao invés de ser da construtora. "Isso evita que, caso a construtora venha a ter um problema financiero em uma de suas obras, as demais sejam afetadas pelo prejuízo. Isso não isenta o cliente de pesquisar, e muito, sobre a empresa, obviamente", alerta.


IMÓVEL PRONTO


Por outro lado, há quem não queira ou não tenha tempo hábil para esperar o subir dos andares de uma edificação e acabe por escolher um imóvel pronto. Este carrega consigo a vantagem de já estar disponível e de dar ao cliente a oportunidade de conhecer o espaço interno, o tipo de acabamento, as áreas comuns, a vizinhança, a altura do prédio em relação ao entorno, se ele tem ou não privacidade, a intensidade da insolação, além do grande benefício de o cliente poder mudar de imediato.


Outro fator importante é que o cliente pode, em conversa com moradores do prédio, pesquisar sobre possíveis problemas da construção, vícios ocultos do imóvel, entre outros aspectos, afirma a especialista.


Sobre as burocracias para a aquisição, ela destaca que a documentação para compra é extensa nos dois casos. "Mas claro, no caso pronto há que se pesquisar profundamente sobre as condições do imóvel para checar se ele não tem restrição ou se o proprietário atual não tem alguma pendência, como questões trabalhistas ou familiares que possam  comprometer a venda", diz Flávia.


Em relação ao preço, essa pode ser uma desvantagem. Ao analisar dois imóveis de mesmo padrão e na mesma localidade, o imóvel pronto é mais caro, tendo em vista que ele já está disponível no mercado e pronto para ser habitado. Para todos os casos, no entanto, a especialista alerta: "é preciso pensar bem sobre essa decisão de compra. Adquirir um apartamento é um passo muito importante. O valor investido é alto, a dificuldade de trocar depois é grande e, por isso, escolher bem faz diferença. A decisão de comprar de imóvel não pode ser só por impulso", completa.


Fonte: MARCA BRASIL CONSTRUTORA

Copyright © 2018 - SecoviMG Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por